quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Cansei de ficar cansado. (Cão sem bolas )


Interessante. Nunca tive atração em traçar planos, já tentei e consegui de uma forma ou de outra. Sempre procuro a realização imediata.
Das vezes que eu tentei. Se eu me prender por muito tempo eu me sinto acorrentado e sufocado. E sempre procuro manter um tanto quanto fora de cada lugar em que eu for. Não aceito as questões que me faça pegar uma carona em um cometa e me desfazer por completa do meu lar. Sempre tive a possibilidade de voltar e sumir do planeta. Mas sempre volto, por que no fundo não consigo ser um cão sem dono, pois tudo uma hora me cansando. SEMPRE me cansa.

E a história sempre torna a se repeti. Mudo meus planos de viagens, mudo a rotina, às vezes troco meu ciclo social amigos, cheguei até mudar de relacionamentos por cansaços, mas, no final... a história sempre tornava a se repetir. O cansaço surgia.  E eu nunca conseguia entender o fato de isso acontecer. Então deixava de lado e fingia que não havia nada. Mas a dança continuava.

Porra Billy, isso não era a sua maior ambição? Não foi melhor dessa forma? E realmente foi. E casualmente mudar tudo sempre funcionou e era bem simples. Mas sempre tive uma coisa me rasgando por dentro, esquisito, incansável. Meu cabelo caindo, meu sobrinho crescendo, por exemplo, e um pensamento escroto de que um dia ele iria me superar, e iam ficar mais adulto que eu.  Entende? Acho que não. Uma sensação horrível de nunca realmente saber o que quer, de estar perdido o tempo todo, mesmo tentando mostrar o contrário que eu tinha certeza de tudo.

Então o que menos imaginei aconteceu. Cansei de desisti. Cansei de ficar cansado de tudo. Exausto demais de quase 23 anos de recomeços de destruir tudo o que construir e me auto afirmar com as máximas determinações e Puta que pariu! Não posso e nem devo fugir de nada. Não consigo mais, não é isso que eu quis. Não me satisfaz. Sim, admitir isso me faz bem melhor: Não vou ficar satisfeito por completo, ninguém consegue isso. A diferença entre do Querer e Poder sempre foi somente o que você quer na sua vida, para o que você pode. No final das contas você sempre quer mais do que pode, então você pode superar algo que mais quer e conseguir.

Então é isso. Estou Cansado de viver pra correr sempre atrás de algo que nem sabia bem o que eu queria, mas sabia poderia. Quero ter certezas. Mesmo que seja algo peculiar, mas que eu posso ter, e não o que quero ter. Só e assim vou vencendo os meus medos, pois se você temer algo, sua vida não terá sentido. E, eu pude e tenho a certeza de que não quero e não posso mais ficar correndo de um lado pro outro e acabar mais perdido que isso. Não quero acabar sempre no ponto zero. A única coisa que quero e posso éabraçar e devorar o resto da vida que tenho pela frente o máximo que puder.  Viver o inicio, o meio e o fim. Viver bem mais do que achava que vivia. E deixar rolar, pra mim, agora é muito menos do que podia imaginar.


domingo, 25 de setembro de 2011

Beijos em litros (O amargo caso de um amor enfermo)


No meu quarto sujo e abafado, Alguém precisa de um leito hospitalar
Me via vomitando e sentindo as tripas na boca, eu não queria te acordar
Você Sacaneava do meu sofrimento, Um novo amor que conseguiu me passar à rasteira
um pobre diabo enfermo, que nunca vai poder superar todos os defeitos.

Ofegante, ardendo em febre, você deixou de me abraçar
Mas você tem um charme que sempre me encanta.

Ela me possuiu,
mas dessa vez veio um espírito maligno
Que me disse:
- prepare-se pra mais uma daquelas, e de varias outras que iram vim.
E eu, tão perdido, me apaixonei
Me desencontrei tentando me encontrar.

Você sabe bem mais de mim do que eu de você.
O gosto de seus beijos e a depressão moral, que no outro dia tento esconder.

Quando eu menos esperei, você me surpreendeu em me trair
Porém nada mais me deixa triste, com tantas outras coisas boas que encontrei
Quando eu menos esperava, a vida não falhou em me surpreender
não me sinto bem, agora percebo que tenho tanto a perder.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O que eu simplismente não sei fazer, mas é o melhor que sei fazerr




Acho que uma das coisas que gosto é de viver assim. Acordar nem cedo nem tarde.
Mas eu queria sair sem rumo. Um tanto quanto perdido
Não arrumar o quarto, a gaveta e a mesa do PC. Sem o incomodo da radio e da tv.
Maços de cigarro, papeis desenhados, rascunhos, garrafas de bebidas. Tudo espalhado.
Esse é o meu organizado, assim eu sei por onde eu deixo cada coisa…
Escrever minhas idéias em blocos de notas e grudar nos moveis do meu quarto ou na parede.
As vezes gosto de ficar sem celular, as vezes eu não suporto. Sempre preciso ao menos mandar sms para as pessoas.
Não suporto dar satisfações. Mas me sinto obrigado a dar…
Tenho vontade de almoçar cada dia em lugar diferente.
Seboseiras diferentes. Diferentes nojeiras.
Deitar num gramado acender um cigarro e ler o livro que quiser, Fazer no papel a merda que quiser,
Ficar bêbado o quanto quiser, e foda-se o mundo, com suas regras idiotas que não dizem nada a mim.
Fazer apenas o que eu gosto pra me manter assim. Talvez de bem com o mundo.
Nunca fui uma pessoa com grandes ambições. Não sonho em ser rico. Apenas me sentir bem comigo mesmo e com as outras pessoas.
Escrever, desenhar, me sustentar com as coisas que eu quero fazer.
Às vezes sinto vontade de viajar e ficar por la mesmo.
(…)
Apesar de namorar, amo viver sozinho. Mas ao mesmo tempo eu assumo.
Odeio ter que dormir sozinho.
É uma solidão sem tamanho nessas horas…
Uma companhia pra conversar antes de dormir.
Abraçadinho, ouvindo suspira, e falando baixinho no ouvido.
Pra sentir o hálito e a respiração de um sono calmo e pacifico.
Poucas vezes tenho e tive esse prazer, de acariciar o cabelo no meio disso tudo.
um momento próximo. Sem pressa pra fazer algo diferente. Um aquecendo o outro como filhotes de coelhos recém-nascidos.
talvez seja por isso que apenas as vezes eu me sinto vivo.
E sempre acabo fazendo tudo errado.
(…)
Queria muito mesmo amar não ser assim…
Acordar cedo e sempre da um beijo na pessoa ao lado fica olhando…
Porque não há nada além disso que eu sei fazer perfeitamente.
É o que gosto de fazer…

sábado, 3 de setembro de 2011

waiting for nothing




Um Martini por que acabou a cerveja.
Um Agosto se foi, e outro setembro chegou.
Eu pensei que tinha sido meses, mas já se foi o ano…
Ainda tenho sede de muita coisa.
Olho da varanda e nunca sei o que estou esperando.
Mas olho, perdido, mas eu olho.
A cada momento.
Espero.
Sem querer eu espero.
E assim vou enjoando cada vez mais rápido de lugares e das pessoas e desistindo delas.
As palavras e os risos já vão perdendo os valores em novos dias.
E às vezes só isso já é o bastante.
A cada idade os dias correm mais rápidos.
O passado cada vez mais distante e um tanto quanto apagado.
O vazio nunca quer me largar.
Contaminando todas as células do meu corpo.
Esmurrando-me feito um lutador enfurecido.
Já não durmo direito na noite.
Converso menos ainda com as pessoas de casa.
E tão pouco na rua.
Não sei realmente em que época ou lugar deva pertencer.
Não importa. Qualquer lugar é sempre a mesma coisa.
Mas descobri que cada vez mais álcool não faz esquecer.
O efeito é totalmente o contrario.
Mais se beber se tem mais motivos pra lembrar.
As noites continuam longas e infernais.
Os programas horríveis.
Os canais reprisando as mesmas coisas.
Os astros são um bando de palhaços patéticos tentando tirar a sua atenção.
E nós sabemos muito bem o que é, mas preferimos fingir não saber.
Tenta ver a parte boa, tenta ri com as séries.
Galãs são tão monstruosos e defeituosos.
Viciados, polêmicos. Ficam mais velhos e mais estúpidos
Depois viram avôs ou velhos cheio de histórias pra contar.
E esquecemos o quão decadente eles acabaram se tornando.
O espelho da decadência é segurado por um controle.
Envelhecemos decadentes como eles.
E tudo a nossa volta se torna decadente com a gente.
E ai os nossos filhos chegam, crescem e se tornam mais decadentes do que agente.
E como pais somos nos tornamos o ápice da hipocrisia, tentando ser certinhos para os nossos filhos, mas é tão inútil.
Nossas tentativas frustrantes de não ser decepcionante.
Mas se há algo na vida é que nunca é tarde.
Sempre existirá algo que vai mudar o curso de nossas vidas.
Eu tento, mas eu não consigo.
Eu luto pra ser alguém melhor do que eu.
Mas nada é pra sempre.
Viro a garrafa do Martini.
Último gole.
Deixo-a fazendo companhia para as Long-necks
Quase 23.
Quase 14 meses e outra garrafa de bebida barata.
Outro começo de outro fim.
Num piscar chegou o desgosto.
Outra garrafa e acabou agosto.
Mas ainda estou aqui sentado esperando.
Por algo que nem mesmo eu sei o que é.
E enquanto eu não sei.
A única coisa que posso fazer é espera.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Palisades Park

Na noite passada eu fui dar uma volta no escuro
 Num lugar chamado Palisades Park
Pra me divertir, para ver o que eu posso
É onde as garotas estão.

Eu dei uma volta no Shoopty Shoop
A garota com quem eu sentei quase vomitou
E quando parou, ela estava de mãos dadas comigo.


Meus braços estavam voando, com um foguete
Baixo, como uma montanha russa,
Rápido, como um loop invertido,
Depois girando, como um carrossel.

Nós fomos a barraquinha de cachorro quente,
Dançamos ao som de uma banda de rock ,
E quando ela piscou, eu a dei um abraço,
No túnel do amor.


Você nunca vai saber como é bom sentir isso,
Até parar no topo da roda gigante.
Eu me apaixonei, no Palisades Park.




sábado, 13 de agosto de 2011

sociedade virtual



Acho engraçado o que as pessoas escrevem em suas paginas de redes sociais.

Não é bem das pessoas em si, e muito menos dos smilles e emoticons chatos pra caralho que tornam palavras em uma parada decodificada, mas das declarações traduzidas através das redes e salas de bate papo.

No MSN é o mais interessante é que as pessoas colocam frases na parte onde temos que colocar o nome.
Assim vários contatos aparecem de forma desordenada e a pessoa precisa clicar em cima dos mesmos pra descobrir que quem é a pessoa.
No MSN aparece um. “Vendo o box do true blood” é na verdade Lucas alguma coisa. Quando aparece não é porque a pessoa esta enjoada de assistir é porque ele se endividou ou quer algo que chamou sua atenção. Logo temos 'Te amo pra sempre, sem você eu não vivo' é o MSN da Juliana Martins declarando todo amor pra ele em publico.
Mas a melhor parte da vida de internauta é que normalmente é que as pessoas dizem muito sobre o estado de espírito. Então, toda vez uma pessoa trolla no facebook, twitta ou escreve o que está pensando no orkut, pare para analisar tudo o que a pessoa está sentindo...

'Solteira sim, sozinha nunca'. Vixi, assim como as amigas bandidas piriguetes, levou um pé na bunda do namorado está mais encalhada que a sua vó.
 E o pior é quando chega sexta-feira, ela escreve 'O fim de semana promete'. Quer mostrar pro ex e pros bonitões bandidos que tem vida própria e a vida continua. Está mil vezes melhor do que quando estava com ele, mas a única coisa que ela fez realmente no fim de semana foi encher o cu de velho barreiro, vodka barata, empinou o rabo o tanto que conseguiu de tanto dançar funk e ficou com umas pessoas respetidas. E no outro dia tenta disfarçar a sua tristeza com toda alegria dizendo que há tempos não se divertia assim.

O pior é quando você conhece o casal e está no meio da guerra, são seus conhecidos, Um já chega com carrão de Senna 'Hoje eu vou tocar o puteiro', tentando mostrar pros seus amigos e avisando que para as bandidas piriguetes de sua mira que ele ta aberto a qualquer convite, e tentando mostra que sua vida está mais movimentada do que de puta em festivais, além de querer fazer raiva na ex indiretamente.
Também tem aqueles que levaram um grande pé na bunda, e mostram o lado boêmio e triste da vida. “maldita ressaca mas, hoje farei tudo outra vez.”

'
petit-déjeuner à Paris'. Uma vez tava xeretando o facebook de um casal, esses com certeza quer que todos saibam que eles estavam felizes em uma viagem maravilhosa em plena lua-de-mel, esfregando que eles já realizaram o muitos tem vontade de realizar. Tanto que tem fotos deles em que já é moda ter. eles bem em abraçadinhos, meio que rindo e dando um beijo chochu  e bem atrás a torre Eiffel e em baixo da torre 'Eu e o meu amor, curtindo a lua-de-mel em Paris'.  Alguém tinha duvidado dela ou algo assim? Por que ninguém bota nas suas redes sociais fotos de lua-de-mel em Mosqueiro, ou Lua-de-mel no Cúriau-Ap”, ou  até mesmo em Salinas?

'“Amar não é pecado e se eu tiver errado que se dane o mundo, eu só quero você”. Essa pessoa provavelmente é uma idiota completa que não tem capacidade de criar nada pois na sua cabeça só tem merda, como o seu gosto musical e interesse por cultura. Vive ouvindo rádios porque só toca as paradas de sucesso. E também tem aqueles que nunca ouviram a musica de um de um grupo musical, e quando eles vão se apresentar na cidade colocam trechos de qualquer musica na sua página, fazem download das musicas, e em menos de duas horas já é fã.


“Porque a vida é injusta?” Se essa pessoa vier com papo pra cima de você fuja imediatamente. Está depressiva pois aconteceu uma merda do tamanho do mundo que ela mesmo provocou e ta pior que a Maria do bairro, irá ficar falando sobre o problema sem parar. E quase ninguém tem paciência pra ouvir os desabafos de um mal vivido.


“ é muito trabalho pra uma pessoa só”. Se tem muito trabalho porque ta enrolando aqui, por que não agiliza logo esse trabalho pra no final do dia está relaxada? Sempre que vir uma pessoa dessas entrar no MSN, ou escrever na rede, puxe papo só pra resenhar; ela não vai resistir e vai mandar o trabalho pro inferno. Pode ter certeza.
 

“Sábado perfeito, piscina, churrasco e muita cerveja”. Quando uma pessoa escrever isso no meio de uma churrascada pode ter certeza que ele não consegue mais desgrudar da internet. Colocou o vivo one pra está sempre entre o mundo real e o virtual, Até quando vai cagar,  certas pessoas colocam 'Banheiro'.
  Depois que inventaram o vivo one, todos falam de tudo o que ta acontecendo 24 hrs no momento mas, nunca tem coragem de escrever “levei um pé na bunda do meu namorado(a)”.

Pior é quando postam 5u4 m3nt3 f4z c01s4s 1n4cr3d1t4ve1s. Esse aí acha que todos são
Sherlock Romms tentando desvendar o Código da Vinci. Cuidado ao conversar com esse tipo de pessoa, ela pode puxar assuntos sobre os Illuminats.
  

“não compre plante”. A pessoa que escrevem isso ai ou algo do gênero pode ter certeza que é um maconheiro de mão cheia e está numa “xila” muito style. Dá um tapa na macaca pra ficar em boa sintonia com as coisas ao seu redor, costumam usar provérbios de famosos como Bob Marley, Raimundos, Forfun e Cia.
 “VENDO abadas para o show da Ivete, Camarote Vip para a balada do ano”. Essa pessoa está desesperada pra ganhar um dinheiro extra e já ta começando uma sucedida carreira de cambista.

'Eu amo você e não importa o que vão dizer, eu quero só Você... ' Sempre quem usa um provérbio de technomelody, normalmente são bandidas piriguetes posando de gostosas, que sonham em ter um namorado com uma aparelhagem infernal no carro. Adoram também usar trechos de funk ou pagode com duplos sentidos, querem ser as mais top’s das redes sociais, não conseguem ficar um final de semana sem cair na gandaia, e sempre está pronta pra arrumar confusão no fim de festa por causa de macho.

 

 mas o pior é quando alguém inventa um apelido que envolva nome de celebridades e quer emplacar de qualquer forma um apelido para si própria, mas ninguém dá atenção e continua a chama-los pelo seu apelido de guerra na escola. Adora quando alguém compara as celebridades com elas, colocam fotos tiradas por si mesma no espelho com os peitos saindo da blusa rosa, ou quando homem mostra o seu físico bem definido. Querem ser famosos, Mas não chegaram nem a ser figurantes de uma curta metragem nordestina.

Bom é isso, pra finalizar. A internet ja é uma arma para a pessoa começar uma confusão. Com suas indiretas e diretas. 

 Eu não quero aqui ofender ninguém ou qualquer coisa do tipo, escreva o que quiserem eu não sou tão diferente de certos tipos de pessoas que escrevi mais em cima, se não fosse assim a internet séria tão sem graça.  

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

ta estressado? vai pescar!



Ah! Se eu fosse um comerciante de calma e paz... Eu seria o cara mais rico do mundo por comercializar esses produtos quase extintos hoje em dia.
A socialite que vive a posar de “lady-deusa” solta palavrões, berros e tentando se tornar superior, seus modos viram pó. Isso me lembra trabalhadoras de Cabarés, trabalhadoras de esquina, trabalhadoras do sexo... E o comportamento humano?

O doutor se transforma num animal selvagem no congestionamento em que ajudou a fazer...
As crianças enchem o saco, os idosos são estorvos, a vizinhança é um inferno, O patrão é o satanás, chego em casa e a esposa é um carma, o marido é um beberrão antipático. Aquela amiga é muito folgada, o emprego é uma maldição, a escola um saco.
O cinema um caos, o teatro nem “fodendo”, até o passeio virou um purgatório.

Volta e meia, vejo alguém reclamando do seu twitter que está com frescura, ou que a conexão ta uma merda, eu me lembro da época em que ainda enfrentava filas e atravessava a pequena cidade. E esperar a boa vontade dos correios e dos dias. Sempre quando vejo isso, dou um pequeno sorriso e balanço a cabeça, inconformado... Sempre quando estou na casa de alguém e eles estão na net olhando os e-mails, eles apagam tudo, sem nenhuma relutância e la se vai varias coisas legais e chatas também pra lixeira. Por quê? Por falta de paciência de ler.

Pobre de nós, jovens que temos mais tempo do que as pessoas com carga horária de oito horas de trabalho e ainda não têm tempo para consumir 100% de nossos vícios. Ou como diz a minha sogra “sem tempo para Deus”.
A calma e paz está em falta no coração das pessoas, e pelo jeito, a paciência é como o Crack, temporário, Porém, os calmantes estão cada vez mais na moda.

Uma vez perguntaram pra mim no meio das minhas crises de stress “onde eu queria chegar?”
Qual o motivo de minha existência?
Percebi que eu não tinha nenhuma meta, e acabei dando uma resposta superficial.
E você? Onde você quer chegar?
Está correndo tanto para quê?
Por quem?
Sua calma vai agüentar?
Se você morrer hoje de um infarto o mundo vai parar por causa da sua morte?
A empresa que você trabalha vai à falência por causa da sua morte?
As pessoas que você ama vai deixar de viver?
Será que você conseguiu ler até aqui?
A internet vai deixar de existir por causa da sua morte?
Respire fundo... Acalme esse fogo...
 
O mundo é muito grande, e com certeza as pessoas não vão deixar de ser assim por sua causa, no final de cada dia o sol vai se pôr.
e a vida sempre continua, com ou sem seu stress e falta de paciência...

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

A vitória ou a coisa que o valha



Declaramos o fim desta era
em que sempre sentimos
as nossas vidas morrerem através das janelas

Não mais respeitaremos
nenhuma lei que diga o que não podemos
ou o que temos que fazer

Porque hoje o sol nasceu
declarando o fim destas lágrimas
e eu vou jogar aos céus meus braços
e não olhar mais para tras

Hoje cantamos sobre as ruínas
de suas instituições ultrapassadas
e declaramos para toda nossa vida
um estado eterno de felicidade

Hoje celebramos a nossa vitória
sobre o império da tristeza e do medo na escuridão

Nunca mais viveremos à sombra
de teus deuses e reis

Brindamos mil paixões e dançaremos
porque hoje o sol nasceu
declarando o fim destas lágrimas
e eu vou jogar aos céus
meus braços e não olhar mais para trás.


                                                                                                                                                                              

terça-feira, 9 de agosto de 2011


Estou cansado das pessoas.
Das bebidas e dos porres.
De tratar pessoas estranhas bem.
Preguiça de falar no cel.
De perguntar “Tudo bem?”
e ter que analisar tudo o que as pessoas querem realmente me dizer.
Estou cansado de ficar cansado.
De sentir o mundo conspirar contra mim.
Estou cansado de me sentir um derrotado.
Queria ir à praia e dar um mergulho em uma água doce
e ir bem lá no fundo
pra me lembrar que a vida é mais leve, mesmo que falte ar nos meus pulmões.
Eu queria voltar a ser uma daquelas pessoas que dão gargalhadas pra qualquer coisa.
Estou cansado das pessoas da minha rua.
Do taxista e sua conversa furada.
do casalzinho no banco de trás trocando beijos e abraços.
Das crianças feias e barulhentas da minha vizinhança.
Da poeira.
Das ladeiras de Monte Dourado.
Cansado das minhas lembranças.
Acho que cheguei ao ponto
que está me cansando.
Lembranças.
Queria uma amnésia.
Queria parar com esses d’javus.
Mas eu to cansado.
Droga.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Vício é não deixar morrer



Amor, nasci amaldiçoado
A ter paixão pela ilusão,
por maus hábitos, por vícios
e em tudo que me faz errado.
Nasci pra correr contra a vida
que me escarra de mais
pra ver se eu vomito essa vontade sagaz
de quem nunca conseguiu soprar
sem sentir gosto de fumaça.
De quem nunca soube beijar
sem a bebida amarga na garganta.

Grande amor, pra onde fores a minha sede de devorar este viver
que me faz sentir as vísceras, meus pulmões arderem em noites frias,
Maldita, sedenta e seca demais
arranca esse vício fugaz.

Eu que nunca te quis, ó, e você sempre é a primeira que vem em meus pensamentos.
Desculpa, a minha maldita falha me faz a busca infinita
por quem nunca sobreviveu sem sentir tantas magoas.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Pra que... Procurar algo mais…

...Se o pôr-do-sol é mais lindo daqui?


1 – Toda semana invento uma coisa nova.
2 – Na frente de casa tem esse maravilhoso pôr-do-sol, onde sempre fico apreciando.

3 – Sem poluição, sem trânsito, sem correria, alguns amigos sempre vem aqui pra tomar uma cerva, falamos mil besteiras.
A minha vida é simples e feliz ♫ ♬



Antigamente eu odiava, mas agora gosto daqui. Quando a noite chega me tranco no quarto aumento o volume e canto mais alto que a música e penso que estou sozinho no mundo. Gosto quando estou em paz e feliz, é quando me dar vontade de viver. De viver bem mais do que já vivo e de gostar de me sentir uma criança de 5 ou 7 anos. Vivia me sentindo morto, e inteiramente vazio.

Agora não. Simples assim. Passei 10 anos tentando chegar a um horizonte muito longe, me perguntando por que as pessoas são de tal jeito, porque elas nunca se contentam com o que tem.
10 anos tentando, ganhando, perdendo, feliz, triste, decepcionado, contemplando, destruindo, perdido dentro da minha própria ambição sem sentido…
Agora não, quero uma vida simples, sem riquezas materiais, sem querer ser mais.
Agora procuro aproveitar o máximo possivel da simples felicidade que a vida pode me oferecer, porque toda essa caminhada em um deserto sem fim não me diz mais nada.
Viver correndo atrás de coisas maiores me cansou há tempos.

E enfim, agora parei pra pensar em mim e no que me faz feliz. Só quero isso aqui e se tiver que mudar quero o mais próximo de tudo isso.
Viver em paz comigo e com o mundo.
Porque essas duas coisas me deixa vivo.
Quero fazer o que gosto e o que me arranque um sorriso.
Tranco as portas a semana toda.

Quando chega o final de semana ir pra casa de amigos e passar o final de semana inteiro la, jogando vídeo game, cantando karaokê, bebendo e esquecendo de tudo e todos que me cercam a semana toda, que se foda as pessoas com seus próprios órgãos genitais que fiquem com suas opiniões politizadas, de rótulos e que mordam suas próprias línguas ao se preocupar com a vida alheia. Por quê...



♫ A vida é longa pra quem consegue viver pequenas felicidades.
E ela vive por ai disfarçado, como uma criança traquina brincando de esconde-esconde. Onde às vezes não percebemos que passamos a nossa existência colecionando nãos.
A vida se torna perfeita quando se é músico e não o público, quando se é olhar e não palavra, quando se é o pássaro e não a paisagem, quando se é a flor e não o perfume. Ela feita de instantes, não podemos medi-las em meses ou anos, mas em minutos e segundos
!♬

quarta-feira, 8 de junho de 2011

um Insone em seu caixão



O filme acaba.
Insônia.
Uma da manhã.
Todo o trocado que estou tentando juntar por mais uma noite de sono.
-Será que vale a pena?
-Acho que não!
No inicio é amargo e depois até o caralho fica triste e desanimado.
Abro a porta, bato a porta.
Ando de um lado para o outro.
-Por quanto tempo eu vou ser um Insône trancado no meu sarcofago?
Pensamentos feios, baixo escalão, fico puto, vontade de gritar que odeio o mundo.
mas esse é o meu mundo.
(…)
Nossos sangues se encontram
As trevas nos esperam..
Sei que não pertenço mais ao mundo dos mortais
” Adoro essa música, acalma o meu gênio ruim.
(...)
14 dias que não sai da minha cabeça.
O meu quarto ta enchendo de teia de aranhas.
Parece que a noite mostra o grito mais baixo de nossas vontades.
A noite me conhece.
Ela sempre me atenta.
Donald disse que eu não iria dormir bem essa noite.
Eu ficaria surpreso se eu conseguisse dormir sossegado como durmo quando me sinto feliz.
Ele vem com papinhos de fantasma que iram me perturbar.
Hahaha! Se quem tem Deus tem tudo, até pertubarções sobre naturais.
Eu não tenho nada divino, pois sou Ateu.
Mas se existe inferno, é lembrar do meu remoto passado escuro e sombrio,
rindo entre alcoolatras, viciados,
putas desbocadas falando alto.
Se existe o inferno ele sempre esteve de portas abertas e com uma limousine me esperando na porta de casa.
(…)
O ar está um pouco pesado.
escuto a canção da noite, e ela é tão bela.
Uma canção tão perfeita que nenhuma letra poderia se encaixar perfeitamente com ela.
Algo dentro de mim está mudando.
Não sei se é bom ou ruim.
Eu não suporto ouvi r músicas deprê quando estou com insônia .
Me dá angústia.
Então vou colocar pra ouvir Halfway to Insanity.
Amo Ramones por que eles não me faz lembrar de enterros, apenas de um belo pôr-do-sol, e alguns momentos inesqueciveis.
(…)
Volto pro quarto.
Meu santuário particular, que foi invadido por alguém que desconheço.
É tarde de mais pra sair.
Tanto faz se eu ficar aqui.
Pra onde eu iria 3 da manhã?
A cidade está morta essa hora.
E por mais que eu tenha muitos sonhos menos da metade eu levo a sério.
Sempre foi assim.
Isso está em mim.
E não vou conseguir escapar dessa sina.
saio do quarto.
Não queria me entregar… mas acabei acedendo um cigarro.
Ligo a TV no canal do crente, Deus se torna um juiz que não tem piedade com quem o Idolatra.
O nosso Deus todo poderoso, que nos fez a sua imagem e semelhança”, ele diz, “Não gosta de pessoas que vivem a dizer o seu nome e vão”.
Prefiro o meu escuro do que assistir a programação da madrugada.
me vejo sentado na sala pensando mil coisas ao mesmo tempo.
vou pra cama tentar dormir
e fingir que nada aconteceu.
Penso quando vou começar a fabricar meu novo Fanzine, outra página acabou, normal, sempre acontece,
dormindo acordado…
Mas eu lembro de tudo o que fiz.
cansado.
tenso.
(…)
o Galo canta e eu me espanto.
Lembro de um céu passado onde sentia uma intensa dor.
Mas agora percebo que a própria dor que sentimos é provocada por nossas próprias escolhas.
Não sei por que, mas não sangro mais com essas lembranças, agora dou gargalhadas.
sinto a cidade acordar.
As pessoas sempre querem tudo perfeito.
Já eu, desisti de tentar chegar ao nirvana patriarcal.
Sabia que hoje eu iria acabar assim.
Now I Wanna Be A Good Boy.
Eu lembro dos ultimos dias em que estive em casa no ano passado.

No fundo sabia que ia acabar olhando para essa janela quando o dia estivesse nascendo.
mas eu não tenho nenhum livro de poesias pra ler a noite toda.
O que fiz durante a noite?
(…)
-É Karyn… a vida é dura.
E, como já tinha imaginado,
Foi-se o tempo em que amava ver sol bater na janela do meu quarto”…


terça-feira, 3 de maio de 2011

A vida vazia

Agora sem PC em casa, sem net e o meu ódio pela programação televisiva, sem aulas, decidi dar alguns dias de folga para a minha boêmia. Decidi me ocupar com outras coisas. Já to a 3 dias me dividindo no trabalho e no fanzine que já ta em 6 paginas de puro esborço.

comecei a fazer o esborço pro meu novo fanzine anteontem... darei um tempo do manuscrito e o bebida de buteco foi uma tentativa frustrante... agora vou fazer o fanzine com o mesmo titulo do meu blog... Acho que nesse esboço radiquei de mais a frustração das pessoas que se encontram sozinhas e tentam maltratar, e se apegar nas outras, e nunca se encontrar... a vida não ter tanto sentido as pessoas não querer se como as outras, tentar fazer com as pessoas entendam ela mesmo que a pessoa esteja equivocada.


Nesse conto, relato a vida de um garoto que perdeu os pais, tudo e tirava o próprio sustento do que mais sabia fazer de melhor.
Mas ele não se sentia bem com essa forma de viver, ele estava aberto a qualquer loucura e a perder tudo o que lhe restava até que encontra um rapaz 5 anos mais velho que ele. Um louco sádico, que tem prazer em brincar com a vida dos outros, sádico, prazer em coisas carnais, mas que o ajudou bastante.
Mas o personagem principal não se via feliz com aquilo, até que encontrou uma adolescente que adotaram como irmã.
Mas com o passar dos anos traíram o mentor deles. Então o principal e a garota vão atrás de outra forma de viver que Também não faz tanto sentido.
E então encontraram uma mulher misteriosa e que possa explicar as coisas que eles querem ouvir, mas, no fim das contas ele descobre que nada é mais do que caminhos e as idéias circulares e regadas de tanta frustração.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Minhas mudanças...



1 – larguei o vicio da cafeína.
2 – to trabalhando de carteira assinada, e voltei a estudar.
3 – hoje é quinta-feira, minha vida dia de encher o saco do primeiro amigo que me visitar.
4 – agora ando arrumado, e ao mesmo tempo relaxado.
5 – começarei a usar blazer e ternos.
Hahahaha...

Há quase 4 meses longe da loucura de cidade grande, 1 mês sem saber o que é ficar puto com a vida, continuo sem ter bens pra trocar com os outros, não tenho nenhum bem no meu nome e muito menos status pra nunca imaginarem que as pessoas vem a mim por causa disso, minha vida é assim, simples, feliz, instável, e cheio, cheio de planos.
Tenho que fazer milhões de trabalhos, planilhas e ainda encontrei um tempo pra atualizar aqui. Minha vista voltou a piorar, e a insônia nunca mais voltou a atacar… acho que to bem até de mais.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

A dança das estações

Vem sem medo a meus braços, meu amor.
Que a tristeza não vai mais espreitar pelos cantos
e apertar assim o peito.
Fica assim, aqui perto,
que o teu cheiro me faz seguro,
teu calor me protege e teu corpo me cura o vazio.

Pra que brincar de ter razão?
É besteira não querer errar
e é tolice demais curtir a dor.
Deixa pra lá tudo isso
e vem dançar a dança das estações.

Ah, tenta não ligar pra essa gente
chata e sem graça.
São tolos demais
esses mortos cegos e adultos.

Gosto de te ver rindo
e da riqueza das coisas simples
que guardo qual tesouros.
E a beleza está em não ter pressa.
Que corremos demais, meu amor,
e é hora de parar, deitar na grama,
falar só besteira e rir da vida.

Ah, deixa isso pra lá
que esse mundo é todo errado.
Fica perto então
que tanta solidão já feriu demais.

Vem dançar a dança das estações.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Quando o sono não vem, e é dificil de encarar...

Um final de semana sem dormir direito…
Durmo pesado, feito uma criança, mas no ultimo sábado ela veio com vontade
com um abraço poderoso!!!
É tão horrível quando ela faz isso, sempre chega sem aviso prévio,
pensei meio mundo de besteiras na hora enquanto tentava dormir.
Andei pela casa toda. Banhos. Altas Horas é tão sem graça.
Não sou mais fã de séries “acho que nunca fui”, porém, é a única coisa que dá pra assistir na madrugada.
Mas tudo pode ficou ótimo com aquela bela garrafa de Gim fica tão bom que até os papos sobre sexualidade das devotas pessoas que sempre vão ao programa do Serginho, se torna aqueles meus papos de fim de noite num boteco…
A hora não passava. E outro copo pra virar, outro cigarro pra fumar. Tudo tão chato, e eu me distraio e já estou pesado, com a garrafa pela metade, assistindo filme no meu quarto.
Olhos abertos que não descansam nada, nem a mente e o corpo.
Calor insuportável. Aí viro outro copo. Viro três copos de uma só vez…
Mas acho que consegui dormir,
pois quando dou por mim estava de joelhos com a cara na privada,
todo arrumado, tiro o cigarro do bolso e cai uma nota de 50 reais,
E pra completar não lembro do que aconteceu,
lembro apenas do meu rosto destruído no espelho…
Então vou descobrir a minha história sobre essa noite…

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Então, eu sempre dou um jeito de complicar tudo por aqui, a cidade, as pessoas, o trabalho. Enfim, tudo.
Pode ser o calor, anda chovendo bem pouco essa semana. E as baratas surgiram outra vez no meu quarto, os mosquitos estão dominando a sala, daí não posso mais passar a madrugada toda aqui. A diversão é bem pouca e aparecem só de vez em quando, assim, quando mando alguém tomar no cú pra me sentir superior e pré-potente. O calor me faz suar tão rápido e tomar tantos banhos… mesmo com essas bobagens ainda me sinto em paz, longe de stress das pessoas “trancar as portar e dizer pro mundo que morremos”, e é assim que quero bem distante, e me deixar em paz eu e meu mundinho. Um final de semana em casa tomando minha cervejinha e ouvir as musica que mais amo, me faz entender o porquê desse gosto de casa e me tornei uma pessoa que perdeu o amor pelas ruas. Tudo por aqui também anda mais calmo, mas ainda não faz sentido, foi fácil me adaptar a essa nova vida, afinal fui eu quem decidiu levar uma vida assim, e agora quase não me vejo no meio de tudo aquilo em que eu vivi… Caminho um pouco pela praça. Cabelo crescendo rapidamente, um pouco menos relaxado e mergulhar em meus pensamentos em cada amanhecer e anoitecer. Aqui dá a sensação de que os problemas não estão distante, e sempre vai aparecer. Então espero aparecer, no meu santuário, e acabam explodindo aqui com uma bomba nuclear. Ando meio desorganizado. Desisti da festa de rock de hoje, esqueci os fanzines, horários de fazer as coisas. E meus finais de semanas são como um outro dia qualquer, mas segunda logo cedo já estou aqui tentando voar um pouco…
Sempre tentei fazer tudo, mas, tudo ao mesmo tempo. Então, olho o meu quarto pela porta e vejo o lixo que ele estar, tento dar uma geral nele, jogo coisas velhas fora. Quem dera se isso fosse uma geral assim tanto no meu quarto, quanto dei na minha vida, então volto a ver tudo escuro, viro um mandam. As pessoas sempre dizem que não mudo, sempre fico do mesmo jeito, uma hora amigável e num piscar de olhos me torno um arrogante, um cumulo de ignorância. Mas tudo bem. É o meu problema bipolar, pessoas que me aturam há tantos anos são muito guerreiros pra aturar meus altos e baixando constantes. Ok. Sou assim e não sei quando vou mudar esse meu lado.
Antes uma cachoeira de idéias vinha em minha mente e eu tentava fazer tudo ao mesmo tempo e raramente conseguia mais do que o resultado imediato. Agora to conseguindo botar em pratica alguns planos. Aqui anda quente? Quente pra caralho. Mas no meu santuário sempre dou um jeito de sumir o calor, o stress enfim tudo que me faz mal… e tudo vira um motivo pra curtir aquele fim de tarde. Tanto faz se for com uma bela xícara de chá ou uma cervejinha, bem aqui mesmo em casa. No lugar onde nunca conseguia ficar por mais de 6 horas sem pensar na diversão da rua...

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

       Sinto a temperatura do asfalto em meu rosto.
Seria considerável se tudo aquilo fosse completamente verde, com a brisa de legumes e verduras?
Olhos quase fechados, dando as costas para quase tudo.
Minha vida resume-se em uma historia de descaso.
Acendo outro cigarro.
Ah pensamentos distantes, olhar perdido.

     Olho para aquela cidade e quase não me lembro dos dias em que tudo começou a ser desse jeito.
O descompassos dos passos vacilando e embriagado talvez não seja a questão.
Não tenho mais tempo pra certas indecências, e não quero me dar o luxo de uma vida sem paixão.
estou cansado da paixão embriagada.
Me cansei da paixão flagelada.
meus heróis morreram cedo.
De um jeito feio. Como seus cabelos e bigodes.

     Mas nada me dar gosto de ver a queda de algum inimigo, quando de madrugada escarrava todo meu ódio pra qualquer pessoa que não me dizia nada, os bares fecham as padarias abrem e eu continuo a tentar passar 24 horas andando por todo lugar, lembrando de tudo o que mais amei.
"aquela rua onde vivi minha infância inteira, e a metade da minha adolescência".

     Foda-se!!!
É, foda-se a minha péssima postura, os meus vícios, as minhas virtudes.
É tenho que perder a cabeça pra me sentir bem. Preciso gritar, preciso explodir.
Então foda-se meus vizinhos.
foda-se essa  cidade.
foda-se o papo dos taxistas que costumo conversar.
As pessoas são mais sujas que costumo caminhar.

domingo, 30 de janeiro de 2011

garota o papo é sério, eu não preciso te ouvir

Ela!

- Oi!

- Beleza, e tu?

- To bem também!

- Seu Chico, outra fadinha verde.
- Há quanto tempo!

- Pois é, muito tempo.

- Agora ta tomando cerveja, mesmo!

- Faz uns dois ou três anos que comecei a tomar cerveja!

- E você ainda bebendo e enlouquecendo?

- Não. To maneirando desde quando estava em Belém.

- Da ultima vez você estava, totalmente ao contrario do que agora. Mas será que você agüenta a pressão?

- É! Larguei as bebidas baratas, as loucuras, as traições e a vida promiscua.

- Você não agüenta, da ultima vez tentou e não conseguiu. Isso é o teu maior vicio, ele te comanda.

- Pior, que não, há seis meses atrás comecei a namorar uma garota e desde então me sinto um pouco mais completo... Diferente do vazio que sentia quando namorava.

- Vou pegar uma latinha. Quer uma?


- Não, obrigado, minha ainda tem um gole.

- Haha... Você não muda mesmo. Continua louco.

- É a loucura está em mim, sempre preciso dar uma pirada pra me sentir bem.

- E o que andou fazendo nessas férias?

- Fui pra Belém, dar um tempo de tudo e de todos, já estava pirando aqui, precisava namorar um pouco e conhecer a família da minha namorada.

- Ta namorando a distancia?

- Ahan, peguei esse habito, mas se eu pudesse começava a namorar com ela quando à conheci.

- Hum, também to namorando faz um tempo, ele é mais novo que eu.

- Parabéns! Espero que ele não faça contigo o mesmo que eu fiz.

- Como assim?

- Relaxa!.


- É também vi as fotos no seu orkut de você com a sua namorada. Ela parece ser legal.

- Ela é a melhor de todas! Seu Chico outra verdinha.

- Ta podendo mesmo. Viajando, tomando Heineken.

- To quase chegando onde quero. To calmo, to regrando bebida, das pessoas, to mais recuado, agora to na luta pra parar de ser o causador da estória.


- Ta bravo?

- Não, acho que já começou a apitar, cheguei ainda agora de viajem, e sempre que volto nesse lugar sempre penso a mesma coisa. “o que estou fazendo aqui?” “aqui não é o meu lugar” ai começa um congestionamento na minha mente, daí começo a enjôo e abuso das pessoas.

- tu precisas de ajuda mesmo, tu realmente não és desse mundo.

- A única coisa que preciso é de outra férias, daqui pra 2 meses minha ignorância vai estar suprema.

- E o que você faz quando isso acontece?

- Simplesmente tento me conformar.

- e acaba vindo pra bar?


- Ou ando por ai. É como assisti Televisão num dia de domingo, é tão chato que você fica viajando por todos os canais...

- Ou desliga. 

- Ou então penso em quebrá-la.

- Agora to saindo mais que nunca, meu namorado não bebe, então bebo por mim e por ele, sempre saímos de noite às vezes pro terminal ou então pra casa das minhas amigas. 

Seu Chico olha a situação de maneira esquisita.

No celular da minha mãe começa rolar umas musicas, que coloquei quando estava em casa.

- Que banda é essa?

- Nenê Altro & o mal de Caim. Lembro de quando estava em Belém, minha trilha sonora das férias.

- E como é namorar a distância?

- É bom e ao mesmo tempo ruim. A parte boa é que temos muito espaço. E a parte ruim é que temos muito espaço.

- Entendo.

- Entende é o caralho. Como muito fico assim esperando com a boca salivando, deixando o cabelo crescer e com um olhar neutro. Eu isso. Eu me sinto assim. Eu sinto isso.
Mas tudo bem eu gosto, a solidão essa época do ano sempre é minha melhor amiga.


- E o que pretende fazer agora?

- Ficar por aqui até enquanto decidirem me mandar embora.

- Não, eu quero dizer da vida.

- Só comprar algumas coisas, trazer minha namorada pra passar as férias aqui e por enquanto é isso.

- E depois?

- Depois, eu não sei. Deixa rolar.

- Não sabe o que quer?

- Sei sim. Quero ficar em paz e me sentir bem.


- legal!

- Agora já deu, desde quando te conheci, você me atrasa, e sua presença me incomoda.

Tenho a despedida de um amigo pra ir.

- Onde é?

- No lugar onde passei minha adolescência inteira.

- parece estar meio bêbado.

- to relaxado tomei cinco dessa, acho que é o cansaço, passei o dia todo na estrada.

 - Sabia que ainda gosto de você.


- Ai o problema não é meu, acho que você foi uma das que nunca me sentia bem, por isso fazia o que fazia contigo.

- Desculpa.

- O problema não é contigo, é comigo. Tchau o papo já ta ficando insuportável. A conta seu Chico.


- Até qualquer dia então?

- Espero que não exista qualquer dia.

(...)

Meus pés formigam, acendo um cigarro enquanto sinto a garoa em meu rosto.
Acabo o cigarro pego um táxi e vou pro meu lugar.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Café, Álcool, Personalidade e cigarro




Talvez o problema seja minha personalidade, talvez o café, o álcool ou cigarro.
Mas os três últimos não têm nada a ver com o amor.
o álcool desce rasgando pela garganta, como uma discussão de 2 pessoas que se ama muito, e em seguida você acorda destruído.
Tudo aquilo que você idealiza sempre não sai como queríamos.
O café te deixa ligado pra não cometer malditos erros, que sempre surge quando se age por impulso.
O cigarro fode com o teu pulmão sem ao menos colocar uma camisinha, te deixa mais calmo, relaxado.
A minha personalidade não, ela é o pior demônio que pode existi em mim, pior que o café, o álcool e o cigarro.
sou como uma bomba relógio preste a explodir a qualquer momento.
Como muitas pessoas que passaram em minha vida, eu também tenho um prazo de validade.
uma hora estou “comestível”, quando menos se espera fico “estragado”.
meu conservante não é o dos melhores.
tudo se abala por um erro que não sei se realmente é. Vejo que estou errado,tento ajudar mas sempre deixei bem claro que nunca consegui me explicar verbalmente.
talvez se eu fosse um produto como um leite talvez, seria pior, pois iria ser utilizável e doce só enquanto tivesse dentro de uma caixa, se não fosse assim iria ficar azedo pro resto da vida como sempre fui, até uns meses atrás.
as vezes sou tão ridículo que acabo não merecendo ninguém, e acabar como aquelas velhinhos que ficam sentados em uma praça jogando migalhas pros pombos.
Que passou a vida idealizando sua felicidade
ou talvez não, ser assim é horrível.
Bom e o que não seria de um belo romance se houvesse desentendimentos? as vezes fica ele também é como eu, como você e como todos nos , um produto com prazo de validade, abrir ao produto tem que ter cuidado pois você fica doente de vontade, mas depois que bebe passa mal e depois recupera vê que nem foi tudo aquilo, fizemos tempestade em copo d’agua.
tudo que me refiro aqui é a mesma merda.