quarta-feira, 8 de junho de 2016

Casos do Acaso (2/7): Devaneios de Boteco.



Então sento em uma mesa de boteco.
Coço a cabeça calmamente.
Estou entre os taxistas, bêbados e passageiros.
Ouço conversas alheias.
Falam de futebol, cerveja e mulher.
Empurro o conhaque goela adentro.
Acendo um cigarro.
(...)
O chuvisco dar um charme ao dia.
O olhar se perde no meio daquela confusão.
Uma criança chora.
O Cachorro corre.
Pessoas correm pra resolver os seus problemas.
Os ônibus repetem sempre o mesmo caminho.
(...)
A vida e o seu ciclo vicioso.
E nos estamos fadados a viver nesse ciclo.
As pessoas nunca esperam.
Se importam demais com as burocracias e problemas.
Perdem o tempo fazendo coisas que não querem.
Sempre querendo tudo.
Esquecem que eles próprios são tudo o que têm e o que restam.
(...)
Me encontro no meio dessa correria.
Tomo outro trago do conhaque.
As moscas migram de uma mesa à outra.
As pessoas imitam as moscas.
O Esporte continua na tv.
Eu estou no meio de tudo isso.
Terminei o conhaque.
Levantei.

Fui embora sem ao menos dizer adeus...

Primeira parte.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Algo sobre o amor.




                    - Acho que tu não sabe amar. –disse ela.
                    Talvez esteja certa.
                    Nem eu.
                    Nem ela.
                    Nem o resto.
                    O amor é egoísta.
                    Assim como as oportunidades.

                    Fiquei olhando apenas para o teto.
                    Não havia o que falar.
                    E para não falar merda
                    É melhor ficar calado.
                    Enquanto isso ela solta
                    Suas rajadas de verdades enganadas.

                    Eu estava numa ressaca
                    Que já durava três longos dias.
                    Fui ao banheiro.
                    Dei uma mijada para expelir
                    Todas as porcarias consumidas.
                    Meu corpo estava uma merda.
                    Decidi ir ao chuveiro.

                    Pensei um pouco sobre o amor,
                    Sobre a solidão e até mesmo sobre a traição.
                    Entre o amor, traição e solidão
                    Sempre entendi mais o lado da ultima opção.
                    Eu entendia pelo simples fato
                    De que eu estava sozinho no banheiro.
                    Assim, como em vários outros
                    Momentos da minha vida.
                    Desliguei o chuveiro.
                    Me enxuguei.

                    Como deve ser a verdadeira forma de amar?
                    Pensei.
                    Eu tenho minha forma de amar.
                    E tenho certeza que não é um amor popular.